Review: Belmond Hotel das Cataratas – Foz do Iguaçu

Por Laila Goulart

A rede Belmond reúne um universo de 33 hotéis de luxo pelo mundo, mais precisamente, em 23 países. No Brasil há dois: o famosíssimo Copacabana Palace, ícone do Rio de Janeiro, e o menos famoso, Belmond Hotel das Cataratas, que fica nas Cataratas do Iguaçu – Paraná. Em uma estada de três dias em Foz, escolhemos esta opção e contamos a experiência aqui!

O Belmond Hotel das Cataratas impressiona pela localização, é o único hotel dentro do Parque Nacional do Iguaçu e fica colado nas Cataratas. É cercado pela natureza, pela floresta tropical e por animais que, até então, eu só tinha visto presos em zoológicos, como tucanos e veados. (Há também os mosquitos: não se esqueça de levar repelente, mas isso não tira o brilho do lugar).

Sem dúvidas, a maior vantagem de se hospedar por lá é a exclusividade de acesso às Cataratas. Como o Parque Nacional funciona das 9h às 17h, o espaço pras fotos e passeios, em qualquer horário fora disso, é exclusivo dos hóspedes. É um baita privilégio, especialmente no pôr do sol. Se ficar por lá, prepare-se pra ver de camarote um dos mais lindos pores do sol da sua vida, com o sol bem atrás das Cataratas.

Para sair do complexo, o hotel oferece um serviço de van, sem cobrança adicional (que funciona de 20 em 20 minutos), ou a opção de agendar um carro com motorista (pago à parte). Você também vê ônibus turísticos passarem por lá, mas qualquer outra opção de transporte, inclusive táxis, não tem acesso direto ao hotel. O trajeto hotel – cidade (ou seja, saindo do Parque) leva cerca de 15 minutos de carro, pois a velocidade máxima permitida é de 40km/hora.

O Hotel oferece passeios diversos, por meio de uma agência de viagens, que tem um balcão junto à recepção. Lá, é possível ter informações sobre todos os horários e preços e você também pode agendar por e-mail, antes mesmo de chegar, com um atencioso atendimento. Algumas das minhas melhores escolhas foram:

Caminhada matinal pela Trilha das Cataratas – dura quase 2 horas, com o acompanhamento de um guia, e começa antes da abertura do Parque. O guia oferece água e capa de chuva, pra quem quiser, e é possível desbravar parte de uma das mais belas paisagens do mundo. Se der sorte, como demos, você será acompanhado ainda por um belíssimo arco-íris. O tour custa R$ 45, por pessoa.

Voo de helicóptero – escolhi o que tem duração de 10 minutos, que já custa R$ 430 por pessoa. O Hotel oferece ainda transporte até o heliporto, por mais R$ 160. Apesar dos 10 minutos passarem, literalmente, voaaando, o passeio já provoca bastante emoção. O voo cheio de voltas e balanços te leva pra ver as Cataratas de ângulos novos e únicos. É uma paisagem estonteante! Na chegada e saída do helicóptero, há um fotógrafo da empresa, que vai te oferecer um pequeno vídeo e 3 fotos do passeio. Essas recordações custam a bagatela de mais R$ 150.

Passeio a Puerto Iguazú, na Argentina – Um carro com motorista pra ficar à sua disposição durante 3 horas é oferecido pelo hotel por R$ 380. Como já havíamos passeado bastante pelas Cataratas do lado brasileiro, optamos, então, por conhecer um pouco da cidade e o free shop. O free shop vale muito a pena! Tem bastante opção de bebidas, perfumes, cosméticos e chocolates, ou seja, tudo que precisamos. E a cidade, bem, não há muito o que ver, além das lojas de vinhos e de bons restaurantes. Escolhemos o Aqva, para um almoço com um belo chorizo. É um dos mais famosos e, apesar de não ter achado sensacional, é gostoso e com porções muito bem servidas.

Falando em refeições, o Belmond Hotel das Cataratas tem dois bares (um na entrada e outro na piscina) e dois restaurantes (um deles estava em reforma quando fomos). A comida é cara e não é a melhor do mundo, principalmente, pelo preço cobrado. Pudemos experimentar alguns pratos e petiscos que foram bons, mas nada inesquecível. Ah, apesar disso, tem um carrinho de sorvete imperdível, nos jardins em frente ao hotel.

O atendimento tenta compensar o que as refeições não atendem. O serviço de quarto é ótimo, com camareiras oferecendo água, docinhos e a opção de arrumar a cama para dormir, todo início de noite. Tudo que está no frigobar pode ser consumido, sem custo adicional (tem água sem gás e com gás, Coca, Guaraná, cerveja, barra de cereal e chocolate Snickers). Se você quiser, é possível receber ainda o jornal The New York Times no quarto, todas as manhãs (a versão digital impressa, claro). A escolha do jornal é porque há muitos turistas estrangeiros por lá.

Ficamos em quarto categoria luxo, que é de tamanho razoável, tem banheiro com duas pias, um bom secador de cabelos, Havaianas e uma vista bonita, recomendando não esquecer de fechar as janelas, por conta dos insetos.

Se for para Foz do Iguaçu, considere pesquisar o Belmond, sem esquecer de se preparar pros altos preços e pra altas vistas (desculpem o trocadilho!)

Deixe uma resposta